EM TEMPOS DE MUDANÇAS CONSTANTES, COMO TRABALHAR A UNIDADE QUE PERDURA!
MAIS DO QUE JUNTOS, UNIDOS PARA PROSPERAR NO AMBIENTE DE NEGÓCIOS.

Os tempos são de evocação ao individualismo e do cada um para si e pouco ou nada para o outro.  Quase sempre estamos juntos, porém quase nunca somos unidos!

É fácil estar juntos ou debaixo do mesmo teto, porém é tremendamente mais fortalecedor e cooperativo estarmos unidos no mesmo propósito, mesmo exigindo esforço para ser feito e árduo trabalho para ser continuado.

Juntos podemos estar sendo apenas uma turba numa balada, entretanto, só unidos é que fazemos parte do mesmo corpo, do mesmo ideal e defendemos com consistência o mesmo espaço.

Mais do que trabalhar juntos devemos agir como uma equipe unida, acreditando no propósito ideal do nosso negócio. Isso porque apenas juntos ainda somos fracos, pois podemos apenas estar de olho naquilo que o outro tem e não com o coração aberto à partilha em “um só coração e uma só alma”.

No seio de uma corporação, p.ex., o tripé missão, visão e valores são conceitos fundamentais para criação, organização e desenvolvimento empresarial. Eles nos dão uma estimativa do quanto estamos comprometidos com aquilo que é nossa obrigação, enquanto dirigentes, colaboradores, parceiros ou cooperadores.

O propósito empresarial é criado a partir do planejamento estratégico e deve definir sua maneira de se estabelecer no mercado e na sociedade. Porém, é bom internalizar que isso não se faz sem verdadeira unidade em termos de visão, missão, princípios e valores adotados na busca de resultados. Temos percebido que sem o fulgor da união a equipe não se conserva coesa e não prospera no mesmo ambiente de negócios.

Veja também >> Palestras para lideranças e trabalho em equipe <<

Considerando-se os espectros das relações humanas e dos negócio como um todo, os apelos de um mercado consumista e de uma sociedade hedonista, materialista e individualista são atraentes, desagregadores e aterradores. A todo instante nos vendem a fácil felicidade sensorial, bioquímica, enfim, as promessas religiosas de cura fácil, etc. Há sempre uma pílula para uma dor, uma promessa para aliviar a dor e nos trazer a salvação sem o esforço da verdadeira mudança interior, promover o prazer, levantar a moral e fazer funcionar um órgão, engordar, emagrecer, enfim, tudo sem esforço, porém com muito prejuízo pessoal gasto financeiro mais tarde.

Isso pode redundar em muito trabalho logo à frente para pagar toda a “felicidade que se compra para si”, quando perdemos a oportunidade impar de a vivermos na unidade. Não que não se possa desfrutar do prazer, da matéria para consumir de maneira sustentável e se valer das próprias forças e condições pessoais que a criação nos dá, somadas àquelas que buscamos desenvolver a partir de dons, talentos e habilidades.

Acreditar em si é fundamental, de modo a que não se dependa apenas de elogios ou de que outros acreditem em nós. No entanto, nada supera a força da caminhada em unidade.

Devemos agir na unidade e não apenas juntos, comungar tudo e não apenas compartilhar um pedaço com os outros, derramar seu próprio suor e não se valer do suor de outrem, assim como dar do seu próprio sangue e não fazer derramar o sangue alheio.

Pessoas e equipes precisam saborear o pão e abraçar as causas que estão sobre a mesma mesa das oportunidades. Isso se faz com treinamento em favor do mesmo sentimento de unidade. Unidade não nasce no berço, pois cada vez mais nascemos de famílias com poucos filhos, onde são criados com tudo o que desejam e sem muita luta por suas próprias necessidades. A possibilidade de serem pessoas e profissionais egoístas é muito grande.

Portanto, necessário se faz conscientizar (e capacitar) os membros do seu time que estar junto pode não significar unidade e cooperação, especialmente quando vivemos mais de pura opinião e menos de esforço para a união.

Trabalha em união quem está ligado, pegado, conectado, unificado, prendido (e não preso) no mesmo amor, associado á mesma fé, atado ao mesmo sonho, vivenciando o mesmo compromisso com os resultados planejados estrategicamente. E isso não se consegue com um “tamo junto” mas com um “somos muitos em um só ideal”.

Dizem que tudo muda o tempo todo e que devemos estar preparados para as constantes mudanças. Pensando assim, logo me vem à memória que vivemos num mercado provisório, que não tem caráter de permanente, sendo temporário, provisional. E tudo o que é provisório é efêmero, passageiro e precário, como a vida se nos apresenta em muitas ocasiões. Tuto o que é temporário é também fugaz e frágil, assim como se apresentam nossas relações “ficantes” (sem compromisso de unidade e continuidade, provisório), do tipo que está junto, não unido. Logo precisamos trabalhar mais a unidade que perdura, mantém-se estável, firme, certa e confiável.

Quando de nada temos certeza parece que estamos perdidos em tudo. Sabemos que nem tudo pode ser seguro, garantido ou inabalável, porém tudo pode ser sincero e confiável. E quando estamos unidos de verdade, a confiança toma ares de esperança e fica mais fácil a jornada. Não precisamos atravessar o mar à noite inteira e retornarmos à margem sem peixes, mas podemos lançar as redes do lado do barco, próximo margem, que sempre encontraremos um amigo a se somar ao nosso unido esforço para puxarmos a rede.