O cooperativismo e seu viés social, econômico e sustentável.

Por Ainor Francisco Lotério

O Cooperativismo precisa envolver a pessoa do associado, sua família e a comunidade a qual pertence, para cumprir com o que está preconizado nos Princípios Cooperativistas, que vão da adesão livre de cada sócio. Portanto, essa ideologia depende de um ato de vontade e responsabilidade própria, indo até o efetivo interesse pelas coisas da comunidade, antes do interesse egoísta pessoal.

Dinâmica Cooperativa – Palestra realizada em Tianguá, CE, para colaboradores e produtores de acerola da Nutrilite Brasil.

Eis uma questão fundamental para o pensar, o julgar e o agir cooperativo fortalecedor da vida e do empreendedorismo comunitário: só podemos fortalecer a nossa família quando servimos a ela com amor. Da mesma forma, só fortalecemos a cooperativa a qual pertencemos quando envolvemos a comunidade onde a mesma está e atua.

Leia +
Reflexões sobre Sociedades Sustentáveis por meio da Cooperação
Cooperativismo com Espírito Familiar: Fortalecendo Gerações

Organizamos para você algumas sugestões de como uma Cooperativa deve agir para cumprir seu papel na Comunidade:

  1. Ser agente de desenvolvimento local, com racionalidade empresarial e desvinculada das ações assistencialistas;
  2. Ações horizontais de coesão social de construção de uma base sólida de sustentação do desenvolvimento (associados que sabem que são donos, pois não é a cooperativa que têm associados, mas os associados que têm a cooperativa);
  3. Promover a articulação dos atores locais (famílias, lideranças, outras cooperativas, enfim, conversar com todos, pois os nossos resultados são os mais sociais que há);
  4. Cooperativas precisam contribuir efetivamente para melhorar a economia e o equilíbrio social nos municípios (aumento de renda e resgate da cidadania);
  5. Nas cidades que possuem cooperativas, o IDH é superior ao da média dos demais municípios (longevidade, educação e renda, os três indicadores que formam o Índice);
  6. O processo de ajuste ameaça criar efeitos cruéis nas formas de produção tradicionais operadas por pequenos e médios agricultores, fazendo com que a cooperativa se torne cada vez mais o elo necessário para a corrente da superação de crises;
  7. A Cooperativa precisa se manter articulada junto de outros agentes econômicos, atenta às mudanças mercadológicas, tecnológicas, ambientais, jurídicas, ou seja, todas aquelas que possam interferir na sua atuação;
  8. Não são essencialmente Instituições Cooperativas aquelas “cooperativas” que, “com pele cooperativista”, agem como empresa privada só para escapar dos impostos;
  9. O rápido crescimento de outras cooperativas na região também comprova que o cooperativismo ainda poderá contribuir muito para o desenvolvimento da mesma;
  10. Cada vez mais o Cooperativismo pode contribuir com a transformação positiva da comunidade, especialmente pelos seus diversos ramos que abarcam todas as necessidades da sociedade, quais sejam: consumo, sociais, trabalho, educacionais, transporte, agropecuárias, saúde, crédito, habitacionais, produção, infraestrutura, mineral, turismo e lazer.

Veja também > Palestra na 1ª FENACAMPI – O Cooperativismo e seu Poder de Transformação na Comunidade

Confira abaixo mais algumas reflexões sobre o papel da Cooperativa e do Cooperativismo como doutrina:

– O cooperativismo não visa apenas o acúmulo de riquezas, mas é uma organização de pessoas capaz de mudar comportamentos e melhorar o desenvolvimento do município e região.

– Sucessão para renovar as forças produtivas das propriedades leiteiras: Integrar a família no processo de trabalho, tornar os filhos e filhas aprendizes de novas técnicas, mostrar resultados positivos no fazer contas juntos, para ter mais controle da atividade leiteira e do andamento da sua cooperativa.

РCada cooperativa precisa ser encarada como uma intelig̻ncia que vem de casa.

РPais e filhos precisam e devem tornar a vida uma obra inteligente da coopera̤̣o.

– Está na hora de voltarmos a falar em cooperativismo, pois há muitos sócios no meio do quadro social que só pensam em preço e vantagem pra si e se esquecem de que cooperativismo enseja solidariedade com todos os associados.

– Cooperativismo é para gerar justo fortalecimento e transformação positiva da comunidade, especialmente em momentos difíceis.

– Sentados ao redor da mesa após o trabalho ou em dia de festa, devemos entender que Família e Cooperativa são Escolas de Valorização e Promoção Humana.

Como se pode ver, quando falamos em cooperativismo sempre há algo para se fazer em benefício de todos e da comunidade. Faz-se necessário que percebamos isso e nos engajemos nesse movimento internacional de desenvolvimento do local.