Por Ainor Francisco Lotério

Inicialmente, visando a uma reflexão, fazemos duas perguntas:
РPor que as empresas e os trabalhadores devem fazer e promover a seguran̤a no trabalho?
РPor que a parceria entre Empresa e Trabalhadores pode estabelecer um olhar mais profundo e amplo sobre a quesṭo?

Primeiro, devemos compreender que fazer e promover a Segurança no Trabalho atualmente é diferente do passado, quando as exigências legais, humanas, sociais e ambientais eram poucas ou quase inexistentes.

Empresa que leva a sério a Segurança no Trabalho “não brinca em serviço”, pois sabe que a legislação é mais rigorosa, além do fato de que a mão de obra está muito mais consciente.

Veja também 💡 Como realizar uma SIPAT com qualidade

Segurança do Trabalho não é uma questão trabalhista apenas, mas uma questão de dignidade humana, além do que “é melhor prevenir que remediar” e remédio tardio quase sempre é muito caro e não cura a doença. Conselho: comecemos bem cedo a implantar o remédio da cultura da segurança no trabalho.

As medidas de segurança que a empresa adota podem não funcionar se os colaboradores não estiverem sensibilizados, conscientes e estimulados para pôr essas medidas em prática. Há casos, inclusive, de funcionários e trabalhadores que até já se utilizaram de má fé, não usando o equipamento recomendado, o que levou a empresa a pagar indenização por isso.

A segurança do trabalho é uma tarefa maiúscula da empresa e da equipe como um todo, que visa não apenas minimizar os acidentes de trabalho, mas, principalmente promover saúde e vida de qualidade a todos que se envolvem dentro e fora do empreendimento.

Doenças ocupacionais, acidentes corporais e sequelas psicológicas podem ser evitadas mais facilmente quando todos os colaboradores (não apenas a CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e a Corporação) “compram a ideia” e a colocam em prática.

Ampliando a visão sobre Saúde e Segurança no Trabalho.

Quem amplia o olhar vê que saúde e segurança devem ser transformadas numa cultura empresarial, pessoal, grupal, familiar, social e ambiental, enfim, para todos e sem exceção.

Mais do que atender a uma questão legal (normas regulamentadoras, leis complementares, como portarias e decretos e também as convenções Internacionais), a Segurança no Trabalho tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a manter a integridade física, mental, social e ambiental de todos.

Confira nossos 👍 Temas de palestras para SIPAT

Muito além de evitar acidente, a Segurança no Trabalho deve visar a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador e do empreendimento como um todo. Por isso, não basta pensar na pessoa do trabalhador apenas, se não pensarmos e incluirmos sua família, a comunidade e os recursos naturais. Essa á a razão pela qual as Comissões ligadas à Segurança no Trabalho, bem como das empresas que aderem livremente (mais do que legalmente) a um programa educativo de motivação para a prevenção de acidentes, promoção da saúde e fortalecimentos de laços com o meio ambiente e social onde estão inseridos.

A empresa deve adotar as medidas exigidas por lei não somente porque são obrigatórias, mas, sobretudo porque a Segurança do Trabalho se faz com os olhos de todos e não apenas com a preocupação de uma comissão em prevenir acidentes ou “cumprir tabela”.

Um bom trabalho em segurança na empresa pode fazer com que a mesma se organize, aumente a produtividade e a qualidade dos produtos, melhorando as relações humanas no trabalho, nas famílias e na comunidade.

Pare, pense e cultive essa ideia: trabalhe ampliando cada vez mais seu olhar sobre segurança e vida de qualidade!

Em todo e qualquer lugar, uma vida com segurança é sempre uma vida mais econômica e feliz!