Na palestra “Cooperativismo: o dono é o associado”, Ainor levou a seguinte mensagem: ser cooperativista é ter compromisso com o presente (o que já somos hoje), o passado (origem e história), e futuro (perspectiva de crescimento).

A palestra foi realizada pelo Sicoob do Vale em parceria com o SESCOOP/GO. Com o objetivo de fortalecer os laços cooperativistas do público, o encontro reuniu associados, colaboradores e familiares, em Itapuranga-GO.

Como devem agir os associados para se fazerem donos da cooperativa?

Ser dono de uma cooperativa não é uma tarefa fácil. É preciso entender a razão de existir e os benefícios dessa sociedade, ainda mais do ramo cooperativo. Dessa forma, ser dono é operar com sua cooperativa servindo de exemplo e promovendo não apenas o seu próprio sucesso, mas o sucesso de todos.

Veja também 👇
Confira mais vídeos desse Encontro cooperativo
Postagens e artigos sobre Cooperativismo
Encontro de líderes rurais – Liderança para o Sucesso com Ainor Lotério 

O dono vive de resultados. E com a crescente competição no mercado financeiro entre os bancos, mais do que nunca se faz necessário investir em doutrina e educação cooperativista, associada à educação financeira, como forma de garantir a efetiva participação.

Para tanto, é preciso conhecer os princípios e valores do movimento cooperativista, conforme relatamos nessa postagem: “Como fortalecer os princípios e valores do cooperativismo entre os colaboradores”.

Donos de direito

Assim, só a cooperativa, como instituição financeira que é, e, portanto, diferentemente dos bancos, entrega os resultados aos associados, os quais são os verdadeiros donos. Desse modo, percebe-se que são donos porque a constituem e pagam suas quotas na sociedade, de modo que são proprietários cooperadores de direito. Todavia, não é suficiente a compreensão do ser dono apenas pelo aspecto financeiro ou material. Há a necessidade de se levar à consciência de cada um e ao coletivo associado, a questão de ser dono em outras dimensões, como:

  • Fazer-se dono geral: participar na formação do capital (quotas partes e chamadas), entregar a produção e movimentar (depositar ou aplicar) e incentivar os vizinhos a fazerem o mesmo, estar presente nas reuniões e assembleias para colaborar nas decisões e manter interesse pelo andamento de tudo dentro e fora da cooperativa.
  • Ser dono intelectual: conhece os princípios e valores do cooperativismo, as normas que regem o negócio e seus direitos e deveres.
  • Ser dono empreendedor: aquele que realiza suas atividades com estratégia e visão, beneficiando-se de todos os serviços prestados pela cooperativa.
  • Ser dono fornecedor: prestar serviços com profissionalismo, entregar produtos (produzidos ou feitos) com padrão de qualidade, fornecer ideias e sugestões para melhorar o funcionamento.
  • Ser dono sucessor: preocupado em preparar o(s) herdeiro(s) ou a herdeira(s) para a passagem do comendo e dos negócios, tanto na propriedade quanto na cooperativa. Deve haver uma preocupação com a formação de uma geração COOPERATIVISTA adepta ao cooperativismo: mundo forte e bom para todos os que trabalham de maneira organizada, solidária, produtiva, sustentável. E os associados precisam compreender as diferenças geracionais que influenciam na relação e na sucessão cooperativista.

Ser dono cooperativista é vestir a camisa é honrar o trabalho, tendo a noção de onde a cooperativa veio, onde ela está e para onde vai.

Mais informações: Seiva DG (47) 3365 0264 | Whatsapp (47) 99976 4211.