Sou filho de agricultor familiar (Vidal Ramos-SC) e cresci trabalhando na lavoura. Desde os cinco (5) anos de idade conduzia os cavalos (que puxavam a enxada planet, a famosa capinadeira, o abacelador e outros equipamentos de tração animal) para o meu pai e seus camaradas, entre as fileiras de milho e fumo para a capina mecânica. Tenho ótimas lembranças daquele tempo e nenhuma mágoa ou trauma. É claro que meus pais sempre me diziam que trabalhar era importante, que uma pessoa poderia ser reconhecida pelo trabalho que desenvolvesse.
Mais tarde fui entender que quando os pais são frouxos na criação e educação dos filhos, estes podem se tornar sofredores mais tarde.
Quando você começa cedo, se for conduzido com princípios e valores, a chance de tudo dar certo, com um futuro melhor para as novas gerações é muito grande.

EDUCAÇÃO COMEÇA EM CASA
Acredito que a saída para o Brasil está em cada família. Acredito também que educação começa em casa, sendo, depois, aprimorada na escola. Os professores de hoje estão assoberbados com a educação dos nossos filhos, pois um alto índice de famílias (digam-se pais) está muito ausente desta imprescindível tarefa.
Penso que o maior diploma de honra ao mérito que os pais podem pendurar na parede seja este: “CONFERIMOS AOS PAIS, …, O RECONHECIMENTO PELA EDUCAÇÃO RESPONSÁVEL E INICIAÇÃO PARA O TRABALHO DE SEUS FILHOS”.
O trabalho cedo me fez tão bem, que hoje sou palestrante e desenvolvo a AGROSOFIA – mística da vida com base no agro, ou seja, nas coisas que aprendi no meu campo de trabalho. Acredito que a agricultura seja muito mais do que um negócio, mas uma filosofia de vida. Deste modo, meus pais me ensinaram muito mais do que um trabalho, mas uma filosofia de vida. E isto, penso eu, pode ser ensinado em todas as áreas da atividade humana, mas é preciso começar bem cedo. COMEÇAR CEDO A TRABALHAR SÓ FAZ BEM PARA A VIDA TODA. Ainor Lotério (palestrante – ver site www.ainor.com.br)