fbpx
Ainor Francisco Lotério
O palestrante da mente e do coração

👨‍🏫👨‍🌾 A Sabedoria do Campo como ferramenta estratégica para a Promoção humana na Educação

Reflexões motivacionais para educadores, gestores e pais! Por Ainor Francisco Lotério Imaginem a resposta que nos daria um agricultor antigo, que aprendeu a cultivar a terra com seus antepassados e por si,  um autodidata, se o perguntássemos: o que é uma ferramenta? Certamente ele nos diria: uma ferramenta é algo como o meu machado, a minha foice e a minha enxada, que me possibilitam realizar a limpeza da área, plantar, capinar e colher a minha lavoura. Agora, se perguntássemos a um agricultor familiar ou empresário do agronegócio o que é uma ferramenta, possivelmente, ele nos falaria de tecnologias...

Leia mais

Reflexões motivacionais para educadores, gestores e pais!

Por Ainor Francisco Lotério

Imaginem a resposta que nos daria um agricultor antigo, que aprendeu a cultivar a terra com seus antepassados e por si,  um autodidata, se o perguntássemos: o que é uma ferramenta?

Certamente ele nos diria: uma ferramenta é algo como o meu machado, a minha foice e a minha enxada, que me possibilitam realizar a limpeza da área, plantar, capinar e colher a minha lavoura.

Agora, se perguntássemos a um agricultor familiar ou empresário do agronegócio o que é uma ferramenta, possivelmente, ele nos falaria de tecnologias inovativas, softwares, máquinas e equipamentos modernos, drones, etc. Ferramentas que exigem muita capacitação e habilidade para que os atuais agricultores possam exercer seu ofício.

Logo, se uma ferramenta é um instrumento que me permite realizar determinados trabalhos, a educação é a grande ferramenta estratégica (tática e certa) que um povo possui para melhorar a sua vida. Faço essa associação ao imaginar que todo pensamento estratégico pensa no pressente, assim também a ferramenta que  uso agora é para aplainar os campos do futuro.

Leia + Motivação 4.0: Para expandir a consciência e melhorar os resultados

E o que seria a educação senão a arte ou o ofício de cultivar a lavoura educacional para a produção do conhecimento que liberta e promove a todos? Sugiro ouvir a música “a caneta e a enxada” para melhor entender “essa palavra bonita que se chama educação”. Aliás, a relação entre campo e cidade é cada vez mais profunda, razão pela qual a adotamos nessa reflexão.

Ora, se a terra ficar abandonada não produzirá o fruto que desejamos, pois quando o campo é deixado em pousio as plantas invasoras vicejem ao natural e sem uma direção.

Uma produção útil só é promovida pela implantação de um cultivo planejado e um constante olhar do agricultor.
A educação só caminha na senda da promoção humana quando a mesma é desenvolvida com prioridade real.

Pouca serventia tem lançar uma semente com bom poder germinativo entre as ervas de um campo nativo, pois ela não poderia expressar toda a sua potencialidade. Que sentido tem uma educação que desconsidere a evolução do ser humano na direção de um mundo melhor para todos?

Veja também
Como fortalecer o Elo da Unidade
6 Estilos de lideranças para os dias atuais

Olhando para dentro e fora de algumas escolas, podemos ver crianças sem aprender ou aprendendo mal por falta de comprometimento, desatualização e desmotivação de alguns educadores e gestores. E é possível que muitos assim ajam não por  maldade ou de caso pensado, mas por ainda desconhecerem o seu potencial transformador no viés da promoção humana. Educar é manter a terra escolar viva, sustentável, como um bem produtivo, pois educação é pão para todos. Confira abaixo um vídeo para motivar os educadores.

Para a terra produzir há a necessidade de cultivo adequado da semente certa em cada campo.
Para a sociedade evoluir há a necessidade de se aplicar a educação como ferramenta de promoção humana.

Nisso vemos que, de outrora até agora, de igual força, tanto na lavoura como na escola, continua sendo o ser humano a única essência verdadeira que promove e pode ser promovida.

Educar bem é dar atenção à comunidade escolar que se tem, não relegando a planos inferiores essa perspicácia amorosa na direção do despertar de potencialidades humanas, como frequentemente acontece em nosso país e outras nações ainda atrasadíssimas nesse campo.

A atenção do agricultor faz com que a terra seja analisada e vista em profundidade, ou seja, na sua potencialidade real, dispensando à mesma todos os tratos culturais necessários, bem como o fornecimento dos insumos adequados para que a mesma dê “cem por um” e não apenas uma produção irrisória.

A atenção dos educadores deve ser também de profundidade, vendo, mais do que aparências, a essência do desejo que qualquer ser humano tem de evoluir, mesmo que seu presente esteja degradado, assim como a terra não fertilizada.

Educar é desenvolver uma grande missão, é cultivar o ser humano em profundidade para que ele expresse sua potencialidade, pesquisando a fundo o que de melhor poderia ser adicionado ao seu ser, para que ele se torne uma terra fértil em conhecimento.

Assim como a terra é, a princípio, sustentáculo e agente para o crescimento da planta que o agricultor vai cultivar, os alunos são os sustentáculos e os agentes do seu próprio desenvolvimento, mas também do nosso sonho de uma sociedade com mais  justiça e paz.

Ora, se “homem não é nada além daquilo que a educação faz dele” (Immanuel Kant), então cultivar a terra é fazer dela um bem altamente produtivo. O que ela nos dá não é unicamente para o nosso bem particular, mas para todos, assim como são os frutos da educação.

A Escola é também um bem da Família e os pais só deveriam ter os filhos que pudessem criar e educar (ver campanha de Quaraí-RS). Plantar ou semear sem antes preparar o solo para receber a boa semente, é o mesmo que “fazer filho e não educa-los”. Para melhorarmos uma nação há que se investir em educação a partir do lar e completar a obra na escola. Portanto, é uma tarefa da instituição pública escolar e da família, pois “é na educação dos filhos que se revelam as virtudes dos pais.” (Coelho Neto).

Educação como ferramenta de transformação faz fortalecer as raízes culturais das pessoas, fertiliza a disposição em aprender mais, além de semear a possibilidade da estruturação de uma sociedade mais justa e igualitária, uma vez que seres conscientes não se deixam virar massa de manobra tão facilmente.

Educação é, por assim dizer, a maior estratégia que um governo pode adotar para formar o cerne evolutivo de uma nação.

Educação é uma ferramenta poderosa que engloba todos os processos de ensinar e aprender e não uma forma de depositar nas mentes dos aprendentes o conteúdo que preparamos. Isso requer uma nova motivação nas salas, gabinetes, pais e filhos e pátios escolares.

O ser humano deve se situar no centro do sistema educativo de uma nação, como a terra a ser tornada cada vez mais fértil e produtiva. Todos os esforços devem ser direcionados para educar num horizonte de plenitude, de alegria, de busca da realização pessoal e felicidade social. Educação não é ferramenta de exploração, de escolas e universidades caça-niqueis (veja: Para inflar currículos, pesquisadores publicam em revistas caça-niqueis), onde tais estabelecimentos são erguidos com o objetivo de “ganhar dinheiro”. Educação requer espírito empreendedor educador e não como apenas um negócio.

Assim como o faz o agricultor com seu conhecimento e ferramentas em sua propriedade, a tarefa de cada educador consiste na capacidade de identificar a essência das potencialidades humanas e lançar novas sementes à inquietação do homem.

Educar, assim como se faz com as plantas na lavoura, é manter vivo o amor pelo saber, despertando o coração e ativando a mente de cada ser aprendente (aquele que aprende, o aprendiz, aquele que está em constante busca pelo conhecimento. Veja também Ensinante e Aprendente: a construção da autoria de pensamento). Da mesma forma que a terra expressa em produção o que nela semeamos, não apenas pela fertilidade ou os insumos que nela colocamos, mas como reflexo também das condições climáticas que a envolvem, também a construção do saber (e da cidadania) se deve dar de acordo com a marcha da razão e da adesão livre de cada educando.

-->

🤝 Motivação no Serviço Público: Podemos motivar os outros?

Ainor Francisco Lotério Motivação para gerar entusiasmo e dar sentido de missão no serviço público. Motivar é fazer andar, animar, estimular, associar-se ao que caminha e busca ser cada vez melhor. Motivar para a missão pública é se associar àquele que quer crescer, além de inspirar beneficiários das políticas públicas no sentido de despertar potencialidades para subir e se elevar ao nível da dignidade do povo, que, em última instancia é o seu patrão. Motivar não é apostar na força física e condicionamento mental, mas prestar atenção e cuidado aos detalhes, pois de nada resolve ser um Golias...

Leia mais

Ainor Francisco Lotério

Motivação para gerar entusiasmo e dar sentido de missão no serviço público.
Motivar é fazer andar, animar, estimular, associar-se ao que caminha e busca ser cada vez melhor.

Motivar para a missão pública é se associar àquele que quer crescer, além de inspirar beneficiários das políticas públicas no sentido de despertar potencialidades para subir e se elevar ao nível da dignidade do povo, que, em última instancia é o seu patrão.

Motivar não é apostar na força física e condicionamento mental, mas prestar atenção e cuidado aos detalhes, pois de nada resolve ser um Golias de aparência e ser derrotado em seguida por um Davi forte de essência.

Motivar tem a ver com estudar, planejar, treinar e agir com determinação e fé. Não basta seguir apenas conceitos e preceitos científicos, mas também princípios simples e naturais, muitos dos quais podem fazer um analfabeto erguer um empreendimento que doutores o deixem falir. E desses exemplos estamos fartos.

Veja também 💡 Motivação 4.0: para expandir a consciência e melhorar os resultados

Certamente fomos feitos para abrir caminhos com as próprias forças, romper barreiras e ultrapassar limites, mas a vitória só é plenamente saboreada quando agimos em cooperação e sob os olhares dos outros. Por isso, o fator humano é tão importante na motivação, uma vez que muito do que fazemos é para os outros, ainda mais em se tratando do serviço público.

Foto de dinâmica na palestra “Valorização do Servidor Público” em Ipiranga do Sul, RS.

Seguindo esse viés, a motivação no serviço público é aquela energia ou acelerador que movimenta a natureza humana (do servidor ou funcionário público) na busca não apenas do seu objetivo pessoal e profissional, mas da doação dos seus dons, talentos e habilidades em função do seu município e de sua cidade.

O problema é que nossos sentidos internos (visão, olfato, paladar, audição e tato) a miúde nos enganam e não controlamos perfeitamente nossas ações, daí a importância da pessoa estar motivada para o trabalho em equipe. Dentro da equipe, o sentido de missão individual deve estar somado ao objetivo que se quer dar com sua agregação ao grupo ou time de trabalho na esfera pública. Não que estejamos a defender a desconsideração das individualidades, mas apenas lembrando que a nossa adesão ao serviço público (através de concurso ou nomeação) deve produzir em nós um sentido de missão. Já não mais vamos fazer a nossa parte e pronto, mas vamos agir em função de um todo, de um plano e de uma sociedade (com todos os munícipes). 

Dinâmica das cordas: trabalho em equipe, cooperação e superação.

Leia + 🎯 Como tornar a Gestão Pública atual mais eficaz?

UMA PESSOA PODE E DEVE MOTIVAR A OUTRA, POIS TEMOS RESPONSABILIDADES UNS COM OS OUTROS NO SERVIÇO PÚBLICO.

Todas as Teorias Motivacionais, entre elas a mais famosa, a Teoria de Maslow (veja aqui Teorias sobre a motivação no trabalho), dão ênfase aos fatores (remuneração, condições do ambiente, relações humanas, valorização e respeito, etc) que estimulam o comportamento das pessoas. Todavia, ouvimos constantemente as pessoas dizerem que “uma pessoa não motiva a outra” ou que “ninguém motiva ninguém” (ou “quem motivaria alguém que não desejaria ser motivado?”)

Ora, como isso pode conferir com a verdade se sabemos que é difícil conviver com uma pessoa mal humorada, conflituosa e negativa no ambiente de trabalho, mesmo que ela tenha boa produtividade?

A motivação no serviço público deve ser entendida como o motivo, o mover e o mover-se, enfim, o movimentar não apenas a si, mas o motor da máquina pública, que ao final não deve servir-se dela, mas servir ao povo através das políticas públicas.

A motivação sempre foi um grande desafio no serviço público, uma vez que o mesmo não entra em falência, mas apenas em crise, e seus integrantes são, normalmente, protegidos por leis de garantia do emprego ou por apadrinhamentos. As constantes mudanças nas gestões públicas, as constantes eleições e a troca de gestores, o enfrentamento de crises, entre outros fatores, fez ao longo da história eclodir um novo modelo de administrar, pautado em uma gestão gerencial. No entanto, esse modelo não logra êxito se deixar de fora um elemento importantíssimo: a gestão de pessoas. Desse modo, a motivação humana no serviço público tende a assumir um grau cada vez maior de importância quando se trabalha com a coisa pública, ou seja, estruturada por pessoas para pessoas.

Sabemos que mesmo um servidor (colaborador ou funcionário) que tenha um bom rendimento pode ser um fator negativo para a equipe, se ele for um desagregador, pois todo integrante de uma equipe deve ser um fator de soma e não de divisão.

Aos servidores públicos e gestores não basta “garantia contra a demissão”, mas é preciso dar ao seu trabalho um vigoroso e autêntico “sentido de missão”.

Já fui servidor público municipal, estadual e tive participação na gestão pública federal, além de me dedicar constantemente a estudar a virtude do bem comum, conforme pode ser visto em minha trajetória junto ao serviço público. Evidentemente que isso por si não me dá o direito de falar o que bem desejar sobre o que vem a ser motivação no serviço público. Desse modo, com o genuíno intuito de arrazoar mais o que lhes escrevo, fundamento esse singelo artigo também com a menção de alguns Textos e artigos sobre gestão pública , Temas de Palestras para a Gestão Pública, além de outras experiências profissionais na área: Ainor Lotério e a Gestão Pública.

Por isso, a motivação deve ser orientada para o tripé missão, visão e valores da corporação, seja ela pública, privada ou sociedade de pessoas. Logicamente percebe-se que motivação que falo está relacionada com os conceitos fundamentais para criação, organização e desenvolvimento empresarial.

Em minhas experiências como Gestor e profissional do serviço público, constatei que é possível um servidor motivar o outro. Quer saber como? Confira algumas dicas que preparamos para você:
– Considerar cada pessoa na sua dimensão profissional, possibilitando com que ele expresse toda a sua capacidade e dons em seu trabalho.
– Reconhecer seus avanços e contribuições sempre que eles ocorrerem, pois aquilo que cada um é e pode se tornar faz grande diferença no trabalho do grupo, fazendo cada um entender que “homem algum é uma ilha”(Thomas Merton).
– Não dar elogios desmedidos, ou seja, acima do que ele merece, evitando assim demonstrar preferências pessoais, o que é muito comum na gestão pública, muitas vezes recheada de apadrinhamentos e disputas eleitorais.
– Tratar a todos com distinção e igualdade, mesmo que não pertençam ao mesmo partido ou departamento de trabalho, pois todos trabalham para um só erário e mesma população.
– Promover o equilíbrio e a harmonia no ambiente laboral, onde todos possam trabalhar com alegria e se expressar com saudável bom humor.
– Incentivar o equilíbrio nas relações familiares, através de eventos de sensibilização e valorização dos familiares dos servidores, de modos que todos se sintam bem, pois somos o que somos também a partir do lar.
– Considerar o bem-estar físico e as condições de trabalho como fatores básicos para a saúde do servidor.
– Apostar não apenas na fora física mas no preparo intelectual, emocional e espiritual de cada colaborador.
– Adotar, principalmente os gestores, coordenadores e líderes de políticas públicas o viés da positividade em suas posturas, pois “Quem vive dizendo que as coisas vão piorar, tem grande chance de se tornar um profeta”.
(Esaac B. Singer).
– Adotar uma postura proativa e sempre emanar pensamentos positivos, comunicar-se com palavras pensadas e ser portador de atitudes voluntárias.

– Direcionando sempre a atenção para: o cuidado de si, o cuidado com o outro e o cuidado com todos.
– Trabalhar muito em equipe, onde a partilha de dons e qualidades faz com que um se beneficia do outro sem perder sua identidade.
– Agir com profissionalismo e sentimento de pertencimento, tendo sempre na face uma clara expressão de “pode contar comigo!”.

A motivação orientada para o serviço público não é um processo egoísta, mas de genuíno altruísmo, pois o que mais nos realiza é o serviço ao outro e não a locupletação dos nossos próprios interesses. 

Motivar é dar a chance de cada um lutar pelo que há de melhor para si e para o povo, de modo que possa expressar todos os seus dons e o verdadeiro amor pelo serviço.

A generosidade e a partilha são fontes de vida e sinais de mesa farta para todos. Só o serviço ao próximo, desinteressado, é que confirma que estamos seguindo o chamado de verdadeiros servidores públicos, imbuídos na arte e virtude do bem comum. Respeitando o erário e o povo e não aceitando, de maneira alguma, o que não é ético, o que é amoral e tudo aquilo que não revela amor à pátria brasileira.

Louvo a Deus por todos os dedicados servidores que ainda temos, apesar de tantos problemas e desvios de conduta de homens públicos, que muito mais cuidam dos seus interesses e pouco se dedicam à comunidade.

Motivar com consciência faz a diferença!

-->

Palestras: Gestão Pública – Santo Antônio do Palma/RS (Servidores e beneficiários de políticas públicas).

O município de Santo Antônio do Palma, no Rio Grande do Sul, esteve promovendo e investindo na formação humana contando com a experiência, dinamicidade e alegria do Palestrante Ainor Francisco Lotério. Com uma rica programação, as palestras foram ministradas para três tipos de público: para os servidores municipais, para os gestores públicos e para as famílias, agricultores e comerciantes da cidade. Confira também – Provendo o bem comum com Ainor LotérioAdministração promove palestra para famílias com Ainor Lotério No primeiro dia foi ministrado um momento...

Leia mais

O município de Santo Antônio do Palma, no Rio Grande do Sul, esteve promovendo e investindo na formação humana contando com a experiência, dinamicidade e alegria do Palestrante Ainor Francisco Lotério. Com uma rica programação, as palestras foram ministradas para três tipos de público: para os servidores municipais, para os gestores públicos e para as famílias, agricultores e comerciantes da cidade.

Confira também
Provendo o bem comum com Ainor Lotério
Administração promove palestra para famílias com Ainor Lotério

No primeiro dia foi ministrado um momento de crescimento e enriquecimento pessoal e em equipe. O tema foi voltado para todo o grupo dos servidores públicos e o Palestrante abordou sobre Consentimento, Motivação e Inspirações Éticas no Serviço Público. Destacando sobre o ser humano como um ser livre, perfectível e perquiridor das leis naturais e divinas.

No segundo dia foram realizadas duas palestras. A primeira direcionada para os gestores públicos (Prefeito, Vice-prefeito, secretários, assessores e auxiliares administrativos) buscou focar no exercício das promessas de campanha, ressaltando o trabalho em equipe, o poder do serviço, acolhida com o povo e trilogia da política.

O outro momento foi dedicado às famílias, agricultores e comerciantes de Santo Antônio do Palma. O tema da palestra foi SUCESSÃO E PROSPERIDADE, SEMENTE DE ESPERANÇA NO SEIO DOS NEGÓCIOS FAMILIARES. Levantando questionamentos sobre a juventude e seu projeto de vida, as mudanças que o campo sofreu e sofre ao longo do tempo, apresentou índices de taxas de desemprego atuais, a importância do investimento na propriedade rural e da família para o exercício da sucessão.

Os eventos foram um verdadeiro sucesso. Contando com a qualidade do conteúdo proposto e com a dinâmica de apresentação e interação do Palestrante, os objetivos foram alcançados com êxito, colaborando assim na promoção do desenvolvimento pessoal e profissional dos cidadãos.

Mais informações: Prefeito Lauro Gatto (54) 99901 1518; Fernando de Marco (54) 3394 1110 | 99996 0789.
SDG – Seiva Desenvolvimento e Gestão Empresarial Ltda ME (47) 3365 0264
Whats App (47) 99976 4211

-->

Encontro de Recepção, Acolhida e Motivação Reflexiva dos servidores públicos (Chapadão do Lageado – SC)

A Prefeitura Municipal de Chapadão do Lageado (SC) realizou o Encontro de Recepção, Acolhida e Motivação Reflexiva dos servidores públicos para o início do ano e da gestão 2017-2020. O evento teve como objetivo proporcionar uma calorosa acolhida aos servidores, com o intuito de motivar, capacitar e refletir para o serviço público, trabalho em equipe, ética e comprometimento. Para abrilhantar o evento e enriquecer com qualidade de conteúdo e de experiência, esteve presente o Palestrante e engenheiro Ainor Lotério (profissional que conhece a gestão pública nas três esferas e tem formação na área:  

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Chapadão do Lageado (SC) realizou o Encontro de Recepção, Acolhida e Motivação Reflexiva dos servidores públicos para o início do ano e da gestão 2017-2020. O evento teve como objetivo proporcionar uma calorosa acolhida aos servidores, com o intuito de motivar, capacitar e refletir para o serviço público, trabalho em equipe, ética e comprometimento. Para abrilhantar o evento e enriquecer com qualidade de conteúdo e de experiência, esteve presente o Palestrante e engenheiro Ainor Lotério (profissional que conhece a gestão pública nas três esferas e tem formação na área:  Experiência na gestão pública), ministrando o tema “O Servidor Público e seu Valor – Acolhida, Motivação e Inspirações Éticas”. (Clique aqui e confira a publicação da rede social do Palestrante).

 

Veja mais vídeos abaixo:
Minha vida só melhora, uau!
Ser feliz – Falar a verdade

Organizado com o intuito de bem receber os servidores e iniciar o ano com o “pé direito”, o evento iniciou com um momento de convivência e um delicioso café (Veja aqui). Após a acolhida, deu-se início a pauta do encontro, com a presença dos vereadores, secretários e secretárias do município. Em seguida, o Professor Ainor Lotério iniciou sua palestra com muitos risos, palmas e músicas; momentos de reflexão e interação. Após a palestra, os servidores retornaram aos seus setores.

Mais informações: Prefeita Marli Goretti Kammers (47) 99988 6618;
André Sebold (47) 3537 0072 | 99625 5005;
SDG – Seiva Desenvolvimento e Gestão Empresarial Ltda ME (47) 3365 0264
Whats App (47) 99976 4211

 

 

-->
Voltar